Onça parda pode se tornar cada vez mais comum na cidade

12/07/2018 - 18:48

Apesar de inusitada para a população de Cascavel e também para os gestores da Secretaria Municipal de Ambiente, a presença de onça parda na nossa cidade pode ser tornar cada vez mais comum, assim como vem ocorrendo em todo o Brasil em ambientes urbanos. Com uma mata central de mais de 100 hectares, Cascavel tem cenário propício para esses animais silvestres circularem livremente, como está ocorrendo no Lago Municipal nos últimos dias, espaço que continuará com a pista de caminhada e ciclovia fechadas nos próximos dias, por medida de segurança tanto da população, como para garantir a saúde do próprio animal.

Essas informações foram repassadas à imprensa na tarde de hoje (12) pelo secretário de Meio Ambiente, Rômulo Quintino, que junto com o médico veterinário da Sema, Eloir Detoni e demais funcionários da secretaria, reuniu órgãos ambientais, o Corpo de Bombeiros, e o especialista Carlos Brocardo, do Projeto Onça do Iguaçu, para uma avaliação técnica da metodologia que vem sendo empregada antes da coletiva, visando reunir o maior número de instrumentos de trabalho dos diferentes órgãos de atuação ambiental.

Brocardo disse que a hipótese mais provável sobre a origem da onça é a de que ela não tenha vindo do Parque Nacional do Iguaçu. Acredita-se que o animal viva no entorno do Município, uma vez que há mapeamento da espécie na área rural da cidade. São animais solitários, ágeis, espertos, que segundo ele "não colocam as pessoas em risco, pois têm muito mais medo da gente do que a gente deles; há o risco apenas se estiver comendo ou correndo".

PRUDÊNCIA

Mas então vem a pergunta: por que deixar o lago fechado ainda assim? Brocardo disse que o Município agiu com prudência na decisão de fechar o local enquanto avalia-se a situação, faz-se a tentativa de capturar o animal ou, neste meio tempo, ele mesmo volte para o habitat natural espontaneamente.

Segundo o médico veterinário da Sema, "a decisão é a de manter fechado porque apesar de saber dos hábitos do animal, não há 100% de garantia. Então não arrisca-se. O Poder Público precisa manter a segurança das pessoas, pois um pequeno acidente, depois de saber da existência desse animal, é muito grave. E nossa responsabilidade passa por isso", afirmou Detoni, para quem "Cascavel vive um novo momento nesta grande área ambiental, o que exigirá um monitoramento constante a partir e agora".

CAPTURA

De acordo com Rômulo Quintino, a Secretaria, diante da chegada de novos equipamentos trazidos com o reforço do Projeto Onça do Iguaçu, seguirá com as tentativas de capturar o animal. Caso seja bem sucedida a metodologia, quando capturada a onça, será definido pelo IAP a destinação dela para uma área silvestre da região.

CRIME AMBIENTAL

O capitão Eckemann, do Corpo de Bombeiros, que participou da reunião e da coletiva com a imprensa, orienta a população, em caso de avistar a onça, evitar acuar o animal e, imediatamente, acionar a Corporação pelo telefone 193, "para que possa ser iniciado o procedimento correto de manter o animal em segurança, uma vez que a onça parda está catalogada como em extinção". Ele alerta, ainda, que o abate do animal é crime ambiental inafiançável.

imagens