Dengue: Combate ao mosquito não pode parar no inverno!

12/08/2020 - 14:36

Novo boletim epidemiológico já aponta três casos confirmados e 60 notificações em Cascavel

A Secretaria Municipal de Saúde divulgou nesta quarta-feira (12) o novo boletim epidemiológico do período sazonal de dengue. O monitoramento terá sequência até julho de 2021. Em todo o Paraná, já há 79 novos casos confirmados, em 29 municípios. São 484 notificações e 350 casos em investigação.

Em Cascavel, por sua vez, já são 60 casos notificados e 3 confirmados para a doença. Os pacientes são dos bairros: Cataratas, Jardim Presidente e Neva. Outros 20 casos já foram descartados e 37 ainda aguardam por exame.

De acordo com a diretora de Vigilância em Saúde, Beatriz Tambosi, os dados são inquietantes. “Isso preocupa, porque estamos no inverno, que apesar de não estar fazendo frio, também estava seco. Com tempo seco, já estamos com casos positivos, o que aumenta a preocupação quanto à chegada da chuva. Os ovos depositados poderão eclodir e termos aí vários casos da doença no município. Nos períodos de seca, como temos o vetor, é importante higienização dos objetos como comedouros de animais e eliminar objetos que possam acumular água. Isso porque no inverno seco e quente, como está o nosso, o mosquito deposita seus ovos nas superfícies desses objetos e com um pouquinho de chuva, em 3 dias teremos a eclosão de um monte de novos mosquitos”, avalia.

É importante frisar que mesmo com as baixas temperaturas, a luta contra o mosquito deve seguir ativa para não refletir em níveis dramáticos no futuro, uma vez que o ovo do mosquito resiste ao frio por até um ano, só esperando gotículas de água e calor. Por isso, é tão importante manter os quintais e residências limpas.

Os trabalhos dos agentes de Endemias seguem ativos com as visitas domiciliares e atendimentos a denúncias. Caso você tenha uma denúncia, o canal para isso é o 156, a Ouvidoria do Município.

Como posso ajudar?

Somente uma mobilização da comunidade é o que fará a diferença nessa guerra contra o mosquito. Não deixe acumular água parada, até mesmo água suja.

Dentre os locais que precisam ser vistoriados pela população estão: edícula, tonéis com captação de água da chuva, aquários sem bomba de oxigenação, pratos de vasos de plantas, bandejas das geladeiras, bebedouro de animais, tanque de roupas que ficam com água empossada no fundo, coletor de água da saída do ar-condicionado, lixeiro sem tampa e sem furo embaixo, piscinas de plástico, cisternas, caixas de gorduras e plantas aquáticas, pequenos objetos nos quintais; como tampas de garrafas, copos plásticos e brinquedos infantis. A destinação de pneus também é outro problema. A recomendação é deixá-los em uma área coberta ou então encaminhar para uma borracharia que se responsabilize. Até mesmo gotículas de água numa tampinha de plástico já são suficientes para se transformar no criadouro do mosquito.

imagens
  • cascavel 2