Itaipu abre programação para comemorar o aniversário de 45 anos

03/05/2019 - 14:18

A Itaipu Binacional programou uma série de atividades para marcar os 45 anos de constituição da empresa, comemorados no próximo dia 17 de maio. Estão previstas ações dentro e fora da usina, incluindo um evento aberto para a comunidade. Também haverá exposições no Ecomuseu, plantio de árvores, homenagens aos empregados mais antigos e aos aniversariantes do mês.

A programação foi aberta nesta sexta-feira (03), às 09 horas, com um café da manhã no hall do Edifício de Produção. E será uma comemoração dupla e binacional: os diretores-gerais brasileiro, Joaquim Silva e Luna, e paraguaio, José Alberto Alderete, vão descerrar uma placa dos 35 anos do primeiro giro comercial da usina – que ocorreu no dia 5 de maio de 1984.

No dia 9, a programação prossegue com a abertura de quatro novas exposições no Ecomuseu. Uma delas vai tratar de um tema prioritário para a usina: a segurança de barragem.

No dia 22, a partir das 08 horas, no Edifício de Descarga (EDC), haverá um evento binacional para todos os empregados e empregadas. Será um café da manhã com a participação dos diretores e apresentação do Coral de Itaipu. Haverá transporte para o local (os detalhes serão divulgados na véspera do evento).

O plantio de árvores dos empregados que completam 15 anos de empresa está previsto para o dia 24, às 16h30, no Bosque do Trabalhador. No mesmo dia, às 17h30, no Porto Kattamaram, ocorrerá a homenagem aos colegas que completam 15 e 30 anos de casa e também aos recém-aposentados.

No dia 27 a programação será concentrada em Curitiba, no Edifício Parigot de Souza. Às 09 horas, no 11º andar, os aniversariantes de abril e maio serão homenageados. Às 14 horas, no Espaço Miguel Reale, haverá o bate-papo com o diretor-geral Joaquim Silva e Luna sobre temas abordados no encontro do dia 09 de abril, em Foz do Iguaçu.

Ainda no dia 27, às 15 horas, no Espaço Miguel Reale e no auditório térreo, os empregados vão se reunir para um coffee break em comemoração aos 45 anos da empresa.

A programação de aniversário de Itaipu termina no dia 1º de junho (sábado), das 14h30 às 19h30, com uma grande festa aberta para a comunidade. Estão previstas atividades do Museu em Ação, programada pela equipe do Ecomuseu, e também uma apresentação especial do Coral de Itaipu. Será uma tarde para reunir toda a família.

Exposições do Ecomuseu

A abertura das novas exposições do Ecomuseu, organizadas pela Divisão de Educação Ambiental, será às 18h30 do dia 09 de maio (quinta-feira). Todas são inspiradas no trabalho de Itaipu e nas conexões da usina com o território. A primeira é “Itaipu Binacional: Segurança de Barragens”, no Espaço de Exposições Temporárias.

Com apoio da Divisão de Engenharia Civil e Arquitetura, a exposição terá cinco módulos: formação geológica da Terra, do Paraná e da área de Itaipu; segurança de barragem (projeto de construção da usina, instrumentação, equipamentos e visita virtual a usina); Laboratório de Concreto; monitoramento e segurança hídrica; novas pesquisas e inovações (Ceasb) e Jogos interativos.

No Espaço Aquário, será aberta a exposição “Eletrik CO. Heart”, de Lu Mizkatze. A autora é filha de barrageiro, autista, e retratou em pinturas de murais e telas o que considera ser o “coração” da usina – percorrendo o início da construção da barragem, a preocupação com as questões ambientais e o cuidado com a água e as pessoas.

O arquiteto Henrique Gazzola, empregado de Itaipu (ODMP.CD), e Marcelo Marinho, professor universitário, vão apresentar a exposição “Paraná às Margens”, no Espaço das Artes, com uma seleção de 27 fotografias impressas sobre tecido com temas da vida cotidiana na região da Tríplice Fronteira – Brasil, Paraguai e Argentina.

Na Sala Ciência, alunos do Colégio Flávio Warken, da Vila C, apresentarão a exposição Arte e Comunidade: um Olhar sobre Itaipu. São 15 quadros com releituras de mestres como Vicent Van Gogh ambientadas em cenários da usina (veja exemplo acima). Uma novidade da exposição será a utilização de tintas fluorescentes, com a intenção de remeter à energia de Itaipu.

35 anos de geração no auge da eficiência produtiva

No dia 5 de maio, a binacional comemora a entrada em operação da primeira unidade geradora, em 1984.

A entrada em operação da primeira unidade geradora da usina de Itaipu (conhecida como giro comercial, no jargão técnico) colocava em prática um empreendimento ambicioso que mudaria a história da engenharia do Brasil e do Paraguai no cenário mundial. Foi no dia 5 de maio de 1984, data que se tornaria simbólica para brasileiros e paraguaios.

O acontecimento foi restrito a um grupo de convidados, mas o feito daquele dia logo ganharia a proporção que o evento merecia, pela importância e curiosidade. A maior usina do mundo em tamanho – até então – começava a operar. O sonho se concretizava.

À época, o gerente de Operação, José Pereira do Nascimento, foi quem conferiu o sincronismo da máquina, acompanhado de personagens históricos da empresa, como os ex-diretores-gerais brasileiro (José Costa Cavalcanti) e paraguaio (Enzo Debernardi).

Naquele momento, com o fim dos testes de comissionamento, Itaipu entregava energia somente para o mercado paraguaio. No Brasil, não havia ainda linha de transmissão para receber a eletricidade da binacional. A venda de energia aos dois países teve início, para valer, em 1º de março de 1985.

Inauguração oficial

Já cinco meses depois do primeiro giro comercial, no dia 25 de outubro, o acontecimento ganhava proporção à altura do fato. O mundo acompanhava, por meio de canais de TVs, emissoras de rádio e jornais as informações e imagens da inauguração oficial da usina, pelos presidentes João Figueiredo, do Brasil, e Alfredo Stroessner, do Paraguai.

Começava ali o protagonismo da epopeia chamada Itaipu, que, ao longo dos anos, se tornaria a maior hidrelétrica em geração de eletricidade e encheria de orgulho brasileiros e paraguaios.

imagens
  • cascavel 2