Hosken de Novaes, o vice mais amado

01/05/2018 - 17:26
Nos anos 1970, Hosken de Novaes com os jornalistas Julio Cesar Fernandes e João Milanez Nos anos 1970, Hosken de Novaes com os jornalistas Julio Cesar Fernandes e João Milanez Foto: arquivo pessoal

Por: Ruth Bolognese – contraponto,jor

O único vice-governador que assumiu o governo do Paraná e se manteve fiel à função de substituto-temporário, o professor Hosken de Novaes, é tema do livro do jornalista de Londrina, José Pedriali, ainda sem data para o lançamento.

“Hosken, fidelidade à ética”, o nome do livro de Pedriali, já define o caráter político do homenageado, que morreu aos 88 anos, em 2006.

Ex-prefeito de Londrina, José Hosken de Novaes assumiu o governo quando Ney Braga candidatou-se ao Senado, em 1982. Manteve a simplicidade que o caracterizava – fazia ele próprio as compras nos supermercados de Curitiba – e, apesar de apoiar os candidatos do governo, não distribuiu benesses públicas e entregou as contas rigorosamente em dia.

Hosken de Novaes é uma das exceções na história dos vice-governadores do Paraná nos últimos 40 anos, sempre recheada de desentendimentos, traições e uso da máquina pública nas eleições. A biografia sai em bom momento para comparações.

E Hosken de Novaes foi tão respeitado pelos paranaenses nesta trajetória ética na política que o livro é financiado pelo primeiro candidato ao PT de Londrina, hoje empresário Oswaldo Lima. E por gratidão: os pais de Lima, mineiros, foram socorridos e apoiados e pelo então prefeito da cidade quando migraram de Minas Gerais para o Paraná, sem eira nem beira.

O jornalista José Pedriali tem experiência em livros biográficos de ex-prefeitos de Londrina: Wilson Moreira e Dalton Paranaguá tiveram suas vidas contadas por ele, assim como o vereador e avô, Mário Romagnolli.

imagens