Boa Vista da Aparecida atualiza legislação da planta genérica

02/10/2017 - 16:38
Vereadores aprovaram a proposta do Executivo Vereadores aprovaram a proposta do Executivo Foto: Assessoria

Na manhã de sexta-feira, 29, aconteceu sessão extraordinária na Câmara de Vereadores de Boa Vista da Aparecida, quando foram discutidos vários assuntos, dentre eles o projeto de lei complementar número 003/2017 do executivo municipal, que propõe a regulamentação da planta genérica de valores dos lotes urbanos e rurais do município, tendo em vista de os valores estarem em desacordo com as normas vigentes e com avaliação muito inferior aos praticados no mercado.

Pela legislação, os lotes vazios pagam a alíquota de 2% e os construídos pagam 1%, somando-se o terreno e a construção, para lançamento do IPTU.

Esta proposta acabou gerando polêmica no município. Depois que boatos com informações desencontradas circularam pela cidade, o prefeito Leonir dos Santos, defendeu o projeto, citou alguns exemplos como de um lote com 525m², na Avenida Tancredo Neves, no setor 1, avaliado em R$ 55,00 por m², ficará com valor venal de R$ 28.875,00, se não haver construção, o IPTU deste lote será de R$ 577,50. Leonir comentou que esta atitude é uma das medidas que estão sendo adotadas devido à queda na arrecadação.

“Neste momento de crise que vive o país, pela queda na arrecadação, nos obrigamos a tomar esta atitude, além de corta os gastos, temos que melhorar a arrecadação, e isso nós, como gestor publico, somos obrigados a fazer, ninguém esta fazendo nada as escuras, por isso estamos passando para a comunidade, pois acabaram tendo informações destorcidas, estou com o coração partido, sentido, não era isso que queríamos, não temos outra saída, precisamos melhorar a receita, pois queremos continuar com as parcerias e repasse como por exemplo para a Apae, Casa Familiar Rural, o transporte aos universitários,” destacou Leonir.

A Legislação determina que tanto a alíquota quanto a base de cálculo são fixadas e estabelecidas por meio de lei. Quando ocorrerem alterações que impliquem na redução discriminada de contribuições e tributos, o ato é considerado Renúncia de Receita, o que pode gerar complicações ao executivo.

Os vereadores Junior Granetto, Neninho Ramos e Paulo Nogueira, propuseram emenda, que foi aprovada por unanimidade  oferecendo descontos de até 40% para pagamento à vista, 30% parcelado em até três vezes e 20% parcelado em até cinco vezes, ou o valor integral poderá ser dividido em até 10 vezes.

Depois de muita discussão em torno do projeto de lei, os vereadores aprovaram em primeira sessão por 6 votos a favor e 2 contrários, em segunda votação foi aprovado pela totalidade dos votos.

imagens