Toledo vê alternativas para manter o Hospital Bom Jesus

28/11/2017 - 10:52
Reunião aconteceu no gabinete do prefeito Lúcio de Marchi Reunião aconteceu no gabinete do prefeito Lúcio de Marchi Foto: Assessoria

Membros da Associação Beneficente de Saúde do Oeste do Paraná, do Hospital Bom Jesus realizaram na manhã desta sexta-feira (24), um encontro, na sala de reuniões do Gabinete, a fim de apresentar para o prefeito Lucio de Marchi, para o chefe de Gabinete Alceu Dal Bosco e também ao assessor de assuntos Jurídicos Luiz Paulo Chrispim Guaraná, a prestação de contas do Hospital Bom Jesus até o mês de outubro. Também foi apresentada a necessidade de ações para a continuidade dos serviços para o ano de 2018.

A superintendente do hospital, Nissandra Karsten, explica que nos últimos anos, a instituição está enfrentando várias dificuldades financeiras. “A área de abrangência atende 17 municípios da região Oeste, isso contando com 214 leitos, 24 Unidades de Terapia Intensiva (UTI), 10 UTI neonatal e 128 leitos do Sistema Único de Saúde (SUS)”. Nissandra informa que a cada R$ 1,00 recebido do SUS o prejuízo é R$ 0,45, isso faz com que no final do mês as contas terminem com o saldo negativo”.

“No final de 2016 para 2017 houve uma força tarefa para que pudéssemos ter a liberação de recursos do governo federal para manter o hospital aberto, mas agora para 2018 começa novamente essa angústia para a continuidade dos serviços do próximo ano”, salienta.

Nissandra informa que colocar o prefeito a par dessas preocupações é essencial para que ele também possa juntamente com os deputados da região tentar buscar junto com o Ministro da Saúde uma nova portaria de recursos.

TRABALHO CONJUNTO

O próximo passo, segundo a superintendente é realizar uma reunião na Câmara para deixar os vereadores cientes dessa situação, para que depois se possa trabalhar em conjunto na formatação de uma minuta para discutir soluções com o Ministério Público.

O prefeito Lucio de Marchi ressalta que o Hospital Bom Jesus presta um atendimento essencial para o município e que medidas devem ser tomadas para diminuir esse déficit. “O nosso objetivo enquanto administração pública é dar continuidade dos serviços do hospital. Por isso, pretendo reunir todos os prefeitos que fazem parte da rede de atendimento para que ações sejam tomadas. Além disso, na próxima semana estarei em Brasília e pretendo discutir com o ministro da Saúde, essas questões”.

 

imagens